17- O significado Internacional da teoria Leninista do imperialismo: a crítica das concepções burguesas e revisionistas sobre o carácter “caduco” do Leninismo.

Como fiel discípulo e continuador da doutrina de Marx e Engels, Lenine defendeu a doutrina revolucionária do Marxismo contra os ataques da pseudociência burguesa e contra as suas deformações pelos revisionistas e oportunistas.

Generalizando a experiência do desenvolvimento económico e político da Rússia e de outros países nos últimos decénios do séc. XIX, Lenine defendeu e desenvolveu as teses do Marxismo acerca das leis do nascimento e desenvolvimento do modo de produção capitalista, das suas insolúveis contradições e da inevitável substituição revolucionária do capitalismo pelo socialismo.

Lenine mostrou que o desenvolvimento do capitalismo traz, inevitavelmente consigo, o crescimento quantitativo, a elevação do grau de organização e da consciência da classe operária.

Tendo vivido na época do capitalismo pré-monopolista, Marx e Engels não podiam, naturalmente, fazer a análise do imperialismo. Coube a Lenine o grande mérito da investigação marxista do estádio monopolista do imperialismo.

Apoiando-se nas teses fundamentais do capital e generalizando os novos fenómenos na economia dos países capitalistas, Lenine foi o primeiro marxista a fazer a análise multilateral do imperialismo como última etapa do capitalismo, como vésperas da Revolução social do proletariado.

A teoria Leninista do imperialismo tem como ponto de partida o facto de que a base mais profunda do imperialismo, sua essência económica, é constituída pelo domínio dos monopólios e que o imperialismo é o capitalismo monopolista.

Lenine mostro que o imperialismo nasce como o desenvolvimento e a continuação  das propriedades fundamentais do capitalismo em geral.

O imperialismo não suprime as leis do capitalismo, não suprime a troca, o mercado de concorrência, as crises, mas somente acentua as contradições inerentes ao regime burguês.

Sob o imperialismo, à base da dominação dos monopólios, surgem os altos lucros de monopólio, que constituem uma forma metamorfoseada da mais-valia, específica desta época.

Ao caracterizar o imperialismo como o estádio novo e superior do capitalismo, Lenine determinou o lugar do imperialismo na história e mostrou que o imperialismo representa o capitalismo monopolista, parasitário, ou em decomposição e moribundo.

Lenine elaborou a questão do capitalismo monopolista de Estado e da submissão do aparelho Estatal burguês aos monopólios.

Mostrou que o capitalismo monopolista de Estado constitui, por um lado, a forma mais elevada da socialização capitalista da produção e preparação material para o Socialismo e, por outro lado, a intensificação da exploração da classe operária e de todas as massas trabalhadoras.

A economia política marxista- leninista serve de guia para a acção dos partidos comunistas e operários de todos os países. Ela ilumina o caminho dos trabalhadores para a sua emancipação do jugo do capital.

Ver Obras Escolhidas de Lenine, tomo I (Edições Avante), pág. 575 a 672 “ O Imperialismo, Fase Superior do Capitalismo

A crise monetária-financeira actual: a inflação nos países capitalistas desenvolvidos, a essência, as razões, as consequências.

Ver aqui:

http://www.avante.pt/pt/2028//122150/

http://www.marxists.org/portugues/mandel/1968/crise/cap01.htm

http://www.marxists.org/portugues/tematica/rev_prob/25/crise.htm

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s